História da TV: A 3ª parte da história da TV Bandeirantes!

1981-1990
Comemorando o fato de se tornar a primeira emissora a transmitir via satélite, a TV Bandeirantes mudou o logo e a programação visual, preparados por Cyro Del Nero, que vinha da recém extinta Rede Tupi.
Em 1981 a Band contrata como diretor geral de programação Walter Clark, que foi um dos responsáveis pelo sucesso da Rede Globo nas décadas de 1960 e 1970. Neste período destaque para o sucesso das novelas Os Imigrantes – de Benedito Ruy Barbosa – a segunda mais longa da televisão brasileira depois de Redenção – da TV Excelsior; Rosa Bahiana, de Lauro César Muniz, a primeira novela totalmente ambientada fora de estúdios, toda gravada na Bahia, e Os Adolescentes, de Ivani Ribeiro.
Em agosto de 1982, entra no ar a novela Renúncia, baseada na obra de Chico Xavier com Fúlvio Stefanini e Geórgia Gomide, mas fica no ar apenas 12 dias. Com o total fracasso no Ibope, a emissora decide tirar a novela do ar, aproveitando a entrada do horário eleitoral gratuito, que durava mais de uma hora.
Em 1983, a Bandeirantes aproveitou que a Rede Globo fora proibida de estrear o texto planejado para a novela das oito, tendo que reprisar a novela Casarão (enquanto Gilberto Braga rapidamente preparava a novela Louco Amor, com Bruna Lombardi e Fábio Júnior) para tentar abocanhar telespectadores com a novela Sabor de Mel, de Jorge Andrade, protagonizada por Sandra Bréa e Raul Cortez. A novela tinha um diferencial: um concurso para quem desvendasse um enigma proposto nos primeiros capítulos. Mas o autor da novela se desentendeu com o diretor Roberto Talma e se demitiu, nunca revelando a resposta ao enigma.
Flávio Cavalcanti se tornou o maior investimento da emissora, no início dos anos 1980, com seu programa diário Boa Noite Brasil. Um dos momentos mais marcantes do programa aconteceu quando a cantora Angela Ro Ro deixou os estúdios no meio de uma entrevista ao vivo, por não aceitar as perguntas de Cidinha Campos sobre sua homossexualidade e suposta agressividade.
Quando Flávio Cavalcanti largou a emissora pelo SBT de Sílvio Santos, as noites foram entregues, entre outros, a Jota Silvestre, com o Show Sem Limite e o Essas Mulheres Maravilhosas. Antes de mudar para a Globo, logo depois de ter saído da Tupi, o Chacrinha tinha seus programas Buzina do Chacrinha e Discoteca do Chacrinha nas noites de terça-feira e nas tardes de sábado, respectivamente.
Estrearam programas como o TV Criança, apresentado pelo desenhista Daniel Azulay e sua Turma do Lambe-Lambe, desejando muito algodão doce para a garotada.
O Jornal Bandeirantes era apresentado por Ferreira Martins e Joelmir Betting, com comentários de Newton Carlos sobre assuntos internacionais. Ronaldo Rosas apresentava o jornal do Rio de Janeiro. Na Década de 1980 a TV Bandeirantes colocava no ar o “Canal Livre” cuja história se confundiu com a abertura política que acontecia naquela época, inicialmente apresentado por Roberto D´Ávila. A emissora tinha a missão nesse programa de entrevistas mostrar um jornalismo mais crítico.
Por um curto período, Walter Clark, que criara o conceito de grade de programação no Brasil, veio tentar repetir seu sucesso na Bandeirantes. Criou programas como o noticiário O Repórter, apresentado na hora do almoço, por César Filho e Ângela Rodrigues Alves. Nos finais da noite, foi destaque o programa “Etc.”, de Ziraldo (que nele fez uma entrevista histórica com Dom Hélder Camara). Uma tentativa inovadora foi o programa Variety 90 minutos, entre 20h00min e 21h30min, apresentado por Paulo César Peréio e sua então esposa, a atriz Cissa Guimarães.
Em 1983 entrava no ar o “Show do Esporte” que foi considerado o programa de televisão mais longo do mundo, criado, apresentado e coordenado pelo locutor Luciano do Valle depois de sua passagem pela Rede Record, além de Elia Jr., Juarez Soares, Elys Marina, Sílvia Vinhas, José Luiz Datena e outros. Com o sucesso do programa, a emissora se tornou o “canal do esporte” nos anos 1990. [carece de fontes?]
Os finais de noite passaram a ser preenchidos pelo “Programa Ferreira Neto”, um bate-papo com políticos. Ele sempre iniciava o programa conversando, por um telefone vermelho, com um fictício amigo chamado Léo, usando esse artifício para comentar os fatos do dia.
Em 1984 a TV Bandeirantes começava a se destacar na cobertura das Diretas Já, movimento que pedia a volta das eleições diretas no país.
A emissora transmite pela primeira vez as Olimpíadas de 1984, sempre com coberturas que fizeram história.
As manhãs da emissora eram preenchidas pelos programas Ela, apresentado por Baby Garroux e, mais tarde, pela suposta Garota de Ipanema Helo Pinheiro. Mais tarde, o Ela foi substituído pelo programa Dia Dia, apresentado por Tavinho Ceschi, contando também com o psicoterapeuta Angelo Gaiarsa.
Em 1986, a Bandeirantes inaugura o “Jornal da Noite”, onde estreou Lillian Witte Fibe. No mesmo ano, Orival Pessini estréia a “TV Fofão”, com desenhos animados, sorteios, quadros humorísticos e outras atrações. o Esportivo Esporte Total apresenta o resumo dos fatos esportivos do dia no brasil e no mundo.
Em 23 de janeiro de 1987, entra no ar a TV Bandeirantes Brasília.
Depois de sair do “TV Mulher”, da Rede Globo, e de uma temporada como correspondente para o Fantástico, dos Estados Unidos, Marília Gabriela ganhou seu programa noturno, o “Marília Gabi Gabriela”, nas quartas-feiras, com música-tema de Rita Lee. Mais tarde, Gabi ficou apenas com o programa dominical “Cara a Cara”, com entrevistas.
A emissora transmite pela segunda vez as Olimpíadas de 1988.
Na Bandeirantes em 1989,A dupla de palhaços Atchim & Espirro estreiam o “Circo da Alegria”, onde havia quadros humorísticos, sorteios, brincadeiras, jogos e outras atrações. O Circo da Alegria ficou no ar até 1990.
Em 1988, reestreia, sob o comando de Doris Giesse e direção de Fernando Barbosa Lima, o Jornal de Vanguarda, que já esteve nas redes Excelsior e Globo. O programa durou dois anos, e, em seu último ano, ganhou o nome de Vanguarda.
Encabeçada pela concorrência e sucesso que os seriados japoneses proporcionavam na mesma época pela TV Manchete, o TV Criança, em 1990, passou a exibir também seriados do gênero: Goggle V (mesma fórmula de Changeman, megasucesso na Manchete), Sharivan (alguns chamavam de Jaspion vermelho) e Machineman, todos eles trazidos pela Oro Filmes. Estreou também Metalder, porém esta série veio da Everest Video, e até hoje fãs questionam que se a mesma tivesse sido exibida na Manchete, o sucesso teria sido maior, já que a emissora foi o berço da exibição das séries japonesas no Brasil.
Amanhã tem a 4ª edição dessa mega história!

Publicado em janeiro 18, 2012, em historia da tv. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: