Arquivo da categoria: Momento Reflexão

Eu não confio em você

 
O que fizemos para chegar no ponto atual? Após décadas de traições conjugais, puxadas de tapete profissionais, falsificações com status de perfeitamente normais, vidas duplas descaradamente vividas em todas as classes sociais, enfim, após uma passiva aceitação da farra total na ética e nos valores com os quais grandes histórias foram escritas, confiança virou relíquia, artigo em extinção na alma social.
 
Todo mundo desconfia de tudo e de todos. Confiança só com papel assinado. Muitos já declaram sem o menor constrangimento: Não confio nem em meu pai. Não abro porta para estranhos. Só dou caixinha para o cara que pediu para olhar meu carro para que ele mesmo não venha a riscá-lo. Esta é uma das muitas graves conseqüências da modernidade e da impessoalidade das novas relações: não confio em ninguém e tenho medo de tudo.
Esta semana, num voo doméstico que partiu da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, aconteceu um fato inusitado, que explica claramente nossas desconfianças e nossos medos. O piloto do avião foi ao banheiro, deu defeito na fechadura da porta do mesmo e, em pleno voo o piloto ficou trancado, causando pânico em todos. Um dos passageiros quis avisar o co-piloto. Ao bater e gritar na porta da cabine, o co-piloto simplesmente não acreditou e imediatamente começou a falar o seguinte com a Torre de Controle: O piloto desapareceu e há uma pessoa com forte sotaque tentando entrar na cabine do piloto. Não estou pronto para deixá-lo entrar.
 
Consegue imaginar o pânico? Dentro do banheiro o piloto gritava e forçava para tentar arrombar a porta, em vão. Fora do banheiro, nervosismo e gritaria. Um passageiro gritava para o co-piloto abrir a cabine e vir ajudar. Tudo por causa do defeito de uma mísera fechadura! Resumindo: a Torre de Controle autorizou o pouso de emergência, na pista já tinham caças da Força Aérea Americana a postos e todo aparato policial. Finalmente, no solo, o piloto conseguiu abrir a porta e todo mal entendido foi esclarecido, tudo como consequência de desconfiança e medo.
Tal estado social ameaça a própria fé.  Confiança é um sentimento essencial para quem decide seguir a Jesus. Em João 14.1, por duas vezes, Jesus incentiva-nos a crer: Confiem em Deus, confiem também em mim. O voo da vida ainda não terminou. Pequenos defeitos poderão ocorrer, como o da fechadura do avião da Carolina do Norte, mas precisamos aprender a confiar uns nos outros e, acima de tudo, na capacidade do nosso Piloto, pois voar é com Ele. Veio do céu. Para lá voltou. Breve retornará em glória, nas nuvens, e nos levará com Ele, voando. Coragem e confiança, está chegando essa hora.
Paz!
Por Pr. Edmilson Mendes
Fonte: Sou da Promessa
Anúncios

Eu não confio em você

 
O que fizemos para chegar no ponto atual? Após décadas de traições conjugais, puxadas de tapete profissionais, falsificações com status de perfeitamente normais, vidas duplas descaradamente vividas em todas as classes sociais, enfim, após uma passiva aceitação da farra total na ética e nos valores com os quais grandes histórias foram escritas, confiança virou relíquia, artigo em extinção na alma social.
 
Todo mundo desconfia de tudo e de todos. Confiança só com papel assinado. Muitos já declaram sem o menor constrangimento: Não confio nem em meu pai. Não abro porta para estranhos. Só dou caixinha para o cara que pediu para olhar meu carro para que ele mesmo não venha a riscá-lo. Esta é uma das muitas graves conseqüências da modernidade e da impessoalidade das novas relações: não confio em ninguém e tenho medo de tudo.
Esta semana, num voo doméstico que partiu da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, aconteceu um fato inusitado, que explica claramente nossas desconfianças e nossos medos. O piloto do avião foi ao banheiro, deu defeito na fechadura da porta do mesmo e, em pleno voo o piloto ficou trancado, causando pânico em todos. Um dos passageiros quis avisar o co-piloto. Ao bater e gritar na porta da cabine, o co-piloto simplesmente não acreditou e imediatamente começou a falar o seguinte com a Torre de Controle: O piloto desapareceu e há uma pessoa com forte sotaque tentando entrar na cabine do piloto. Não estou pronto para deixá-lo entrar.
 
Consegue imaginar o pânico? Dentro do banheiro o piloto gritava e forçava para tentar arrombar a porta, em vão. Fora do banheiro, nervosismo e gritaria. Um passageiro gritava para o co-piloto abrir a cabine e vir ajudar. Tudo por causa do defeito de uma mísera fechadura! Resumindo: a Torre de Controle autorizou o pouso de emergência, na pista já tinham caças da Força Aérea Americana a postos e todo aparato policial. Finalmente, no solo, o piloto conseguiu abrir a porta e todo mal entendido foi esclarecido, tudo como consequência de desconfiança e medo.
Tal estado social ameaça a própria fé.  Confiança é um sentimento essencial para quem decide seguir a Jesus. Em João 14.1, por duas vezes, Jesus incentiva-nos a crer: Confiem em Deus, confiem também em mim. O voo da vida ainda não terminou. Pequenos defeitos poderão ocorrer, como o da fechadura do avião da Carolina do Norte, mas precisamos aprender a confiar uns nos outros e, acima de tudo, na capacidade do nosso Piloto, pois voar é com Ele. Veio do céu. Para lá voltou. Breve retornará em glória, nas nuvens, e nos levará com Ele, voando. Coragem e confiança, está chegando essa hora.
Paz!
Por Pr. Edmilson Mendes
Fonte: Sou da Promessa

Eu não confio em você

 
O que fizemos para chegar no ponto atual? Após décadas de traições conjugais, puxadas de tapete profissionais, falsificações com status de perfeitamente normais, vidas duplas descaradamente vividas em todas as classes sociais, enfim, após uma passiva aceitação da farra total na ética e nos valores com os quais grandes histórias foram escritas, confiança virou relíquia, artigo em extinção na alma social.
 
Todo mundo desconfia de tudo e de todos. Confiança só com papel assinado. Muitos já declaram sem o menor constrangimento: Não confio nem em meu pai. Não abro porta para estranhos. Só dou caixinha para o cara que pediu para olhar meu carro para que ele mesmo não venha a riscá-lo. Esta é uma das muitas graves conseqüências da modernidade e da impessoalidade das novas relações: não confio em ninguém e tenho medo de tudo.
Esta semana, num voo doméstico que partiu da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, aconteceu um fato inusitado, que explica claramente nossas desconfianças e nossos medos. O piloto do avião foi ao banheiro, deu defeito na fechadura da porta do mesmo e, em pleno voo o piloto ficou trancado, causando pânico em todos. Um dos passageiros quis avisar o co-piloto. Ao bater e gritar na porta da cabine, o co-piloto simplesmente não acreditou e imediatamente começou a falar o seguinte com a Torre de Controle: O piloto desapareceu e há uma pessoa com forte sotaque tentando entrar na cabine do piloto. Não estou pronto para deixá-lo entrar.
 
Consegue imaginar o pânico? Dentro do banheiro o piloto gritava e forçava para tentar arrombar a porta, em vão. Fora do banheiro, nervosismo e gritaria. Um passageiro gritava para o co-piloto abrir a cabine e vir ajudar. Tudo por causa do defeito de uma mísera fechadura! Resumindo: a Torre de Controle autorizou o pouso de emergência, na pista já tinham caças da Força Aérea Americana a postos e todo aparato policial. Finalmente, no solo, o piloto conseguiu abrir a porta e todo mal entendido foi esclarecido, tudo como consequência de desconfiança e medo.
Tal estado social ameaça a própria fé.  Confiança é um sentimento essencial para quem decide seguir a Jesus. Em João 14.1, por duas vezes, Jesus incentiva-nos a crer: Confiem em Deus, confiem também em mim. O voo da vida ainda não terminou. Pequenos defeitos poderão ocorrer, como o da fechadura do avião da Carolina do Norte, mas precisamos aprender a confiar uns nos outros e, acima de tudo, na capacidade do nosso Piloto, pois voar é com Ele. Veio do céu. Para lá voltou. Breve retornará em glória, nas nuvens, e nos levará com Ele, voando. Coragem e confiança, está chegando essa hora.
Paz!
Por Pr. Edmilson Mendes
Fonte: Sou da Promessa

Eu não confio em você

 
O que fizemos para chegar no ponto atual? Após décadas de traições conjugais, puxadas de tapete profissionais, falsificações com status de perfeitamente normais, vidas duplas descaradamente vividas em todas as classes sociais, enfim, após uma passiva aceitação da farra total na ética e nos valores com os quais grandes histórias foram escritas, confiança virou relíquia, artigo em extinção na alma social.
 
Todo mundo desconfia de tudo e de todos. Confiança só com papel assinado. Muitos já declaram sem o menor constrangimento: Não confio nem em meu pai. Não abro porta para estranhos. Só dou caixinha para o cara que pediu para olhar meu carro para que ele mesmo não venha a riscá-lo. Esta é uma das muitas graves conseqüências da modernidade e da impessoalidade das novas relações: não confio em ninguém e tenho medo de tudo.
Esta semana, num voo doméstico que partiu da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, aconteceu um fato inusitado, que explica claramente nossas desconfianças e nossos medos. O piloto do avião foi ao banheiro, deu defeito na fechadura da porta do mesmo e, em pleno voo o piloto ficou trancado, causando pânico em todos. Um dos passageiros quis avisar o co-piloto. Ao bater e gritar na porta da cabine, o co-piloto simplesmente não acreditou e imediatamente começou a falar o seguinte com a Torre de Controle: O piloto desapareceu e há uma pessoa com forte sotaque tentando entrar na cabine do piloto. Não estou pronto para deixá-lo entrar.
 
Consegue imaginar o pânico? Dentro do banheiro o piloto gritava e forçava para tentar arrombar a porta, em vão. Fora do banheiro, nervosismo e gritaria. Um passageiro gritava para o co-piloto abrir a cabine e vir ajudar. Tudo por causa do defeito de uma mísera fechadura! Resumindo: a Torre de Controle autorizou o pouso de emergência, na pista já tinham caças da Força Aérea Americana a postos e todo aparato policial. Finalmente, no solo, o piloto conseguiu abrir a porta e todo mal entendido foi esclarecido, tudo como consequência de desconfiança e medo.
Tal estado social ameaça a própria fé.  Confiança é um sentimento essencial para quem decide seguir a Jesus. Em João 14.1, por duas vezes, Jesus incentiva-nos a crer: Confiem em Deus, confiem também em mim. O voo da vida ainda não terminou. Pequenos defeitos poderão ocorrer, como o da fechadura do avião da Carolina do Norte, mas precisamos aprender a confiar uns nos outros e, acima de tudo, na capacidade do nosso Piloto, pois voar é com Ele. Veio do céu. Para lá voltou. Breve retornará em glória, nas nuvens, e nos levará com Ele, voando. Coragem e confiança, está chegando essa hora.
Paz!
Por Pr. Edmilson Mendes
Fonte: Sou da Promessa

Eu não confio em você

 
O que fizemos para chegar no ponto atual? Após décadas de traições conjugais, puxadas de tapete profissionais, falsificações com status de perfeitamente normais, vidas duplas descaradamente vividas em todas as classes sociais, enfim, após uma passiva aceitação da farra total na ética e nos valores com os quais grandes histórias foram escritas, confiança virou relíquia, artigo em extinção na alma social.
 
Todo mundo desconfia de tudo e de todos. Confiança só com papel assinado. Muitos já declaram sem o menor constrangimento: Não confio nem em meu pai. Não abro porta para estranhos. Só dou caixinha para o cara que pediu para olhar meu carro para que ele mesmo não venha a riscá-lo. Esta é uma das muitas graves conseqüências da modernidade e da impessoalidade das novas relações: não confio em ninguém e tenho medo de tudo.
Esta semana, num voo doméstico que partiu da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, aconteceu um fato inusitado, que explica claramente nossas desconfianças e nossos medos. O piloto do avião foi ao banheiro, deu defeito na fechadura da porta do mesmo e, em pleno voo o piloto ficou trancado, causando pânico em todos. Um dos passageiros quis avisar o co-piloto. Ao bater e gritar na porta da cabine, o co-piloto simplesmente não acreditou e imediatamente começou a falar o seguinte com a Torre de Controle: O piloto desapareceu e há uma pessoa com forte sotaque tentando entrar na cabine do piloto. Não estou pronto para deixá-lo entrar.
 
Consegue imaginar o pânico? Dentro do banheiro o piloto gritava e forçava para tentar arrombar a porta, em vão. Fora do banheiro, nervosismo e gritaria. Um passageiro gritava para o co-piloto abrir a cabine e vir ajudar. Tudo por causa do defeito de uma mísera fechadura! Resumindo: a Torre de Controle autorizou o pouso de emergência, na pista já tinham caças da Força Aérea Americana a postos e todo aparato policial. Finalmente, no solo, o piloto conseguiu abrir a porta e todo mal entendido foi esclarecido, tudo como consequência de desconfiança e medo.
Tal estado social ameaça a própria fé.  Confiança é um sentimento essencial para quem decide seguir a Jesus. Em João 14.1, por duas vezes, Jesus incentiva-nos a crer: Confiem em Deus, confiem também em mim. O voo da vida ainda não terminou. Pequenos defeitos poderão ocorrer, como o da fechadura do avião da Carolina do Norte, mas precisamos aprender a confiar uns nos outros e, acima de tudo, na capacidade do nosso Piloto, pois voar é com Ele. Veio do céu. Para lá voltou. Breve retornará em glória, nas nuvens, e nos levará com Ele, voando. Coragem e confiança, está chegando essa hora.
Paz!
Por Pr. Edmilson Mendes
Fonte: Sou da Promessa

Eu não confio em você

 
O que fizemos para chegar no ponto atual? Após décadas de traições conjugais, puxadas de tapete profissionais, falsificações com status de perfeitamente normais, vidas duplas descaradamente vividas em todas as classes sociais, enfim, após uma passiva aceitação da farra total na ética e nos valores com os quais grandes histórias foram escritas, confiança virou relíquia, artigo em extinção na alma social.
 
Todo mundo desconfia de tudo e de todos. Confiança só com papel assinado. Muitos já declaram sem o menor constrangimento: Não confio nem em meu pai. Não abro porta para estranhos. Só dou caixinha para o cara que pediu para olhar meu carro para que ele mesmo não venha a riscá-lo. Esta é uma das muitas graves conseqüências da modernidade e da impessoalidade das novas relações: não confio em ninguém e tenho medo de tudo.
Esta semana, num voo doméstico que partiu da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, aconteceu um fato inusitado, que explica claramente nossas desconfianças e nossos medos. O piloto do avião foi ao banheiro, deu defeito na fechadura da porta do mesmo e, em pleno voo o piloto ficou trancado, causando pânico em todos. Um dos passageiros quis avisar o co-piloto. Ao bater e gritar na porta da cabine, o co-piloto simplesmente não acreditou e imediatamente começou a falar o seguinte com a Torre de Controle: O piloto desapareceu e há uma pessoa com forte sotaque tentando entrar na cabine do piloto. Não estou pronto para deixá-lo entrar.
 
Consegue imaginar o pânico? Dentro do banheiro o piloto gritava e forçava para tentar arrombar a porta, em vão. Fora do banheiro, nervosismo e gritaria. Um passageiro gritava para o co-piloto abrir a cabine e vir ajudar. Tudo por causa do defeito de uma mísera fechadura! Resumindo: a Torre de Controle autorizou o pouso de emergência, na pista já tinham caças da Força Aérea Americana a postos e todo aparato policial. Finalmente, no solo, o piloto conseguiu abrir a porta e todo mal entendido foi esclarecido, tudo como consequência de desconfiança e medo.
Tal estado social ameaça a própria fé.  Confiança é um sentimento essencial para quem decide seguir a Jesus. Em João 14.1, por duas vezes, Jesus incentiva-nos a crer: Confiem em Deus, confiem também em mim. O voo da vida ainda não terminou. Pequenos defeitos poderão ocorrer, como o da fechadura do avião da Carolina do Norte, mas precisamos aprender a confiar uns nos outros e, acima de tudo, na capacidade do nosso Piloto, pois voar é com Ele. Veio do céu. Para lá voltou. Breve retornará em glória, nas nuvens, e nos levará com Ele, voando. Coragem e confiança, está chegando essa hora.
Paz!
Por Pr. Edmilson Mendes
Fonte: Sou da Promessa

Eu não confio em você